#ecologia 
Califórnia - Estados Unidos

A Revolução da Prancha Sustentável Está Acontecendo Agora

Kevin Whilden - Surf Sustentável

Em 2012, A empresa Surf Sustentável iniciou o projeto Ecoboard, para catalisar a transformação de pranchas de surf em um exemplo positivo de produção sustentável. Esta mudança está acontecendo agora, e muito rápido.

Surfistas profissionais, como Kelly Slater e Michel Bourez, está surfando em "ecoboards" para vencer baterias e competições. Muitos dos principais fabricantes estão oferecendo e vendendo "ecoboards", com novos blocos de prancha e resinas que estão sendo feitas a partir de reciclados em conteúdo.

Este ponto de mudança no projeto das prancha será apresentado no Boardroom Show em Del Mar, na Califórnia, de 16 a 17 de maio, com o Melhor do Show do Surf Sustentável, apresentado por Marko Foam e Resinas Entropy. Cada prancha que entrou na competição será obrigada a cumprir o os requisitos do Projeto EcoBoard, usando pelo menos um material sustentável aprovado. O nível de inovação será extremamente elevado. 

Falamos muito sobre as revoluções no surf, então vamos colocar a revolução na prancha sustentável no contexto.

O design das pranchas tem sofrido muitas revoluções. A revolução das triquilhas na década de 1980, a revolução das pranchinhas da década de 1970, a revolução do bloco e da fibra de vidro da década de 1950, os projetos de cascos de pranchas de Bob Simmons na década de 1940, e as primeiras pranchas de madeira oca "leve" com quilhas por Tom Blake na década de 1930. Esses avanços mudaram a forma de como os surfistas interagem com uma onda e ajudaram a impulsionar o nosso esporte em uma força de cultural global.

Em contrapartida, a alegria pura e a liberdade de surfar não foram revolucionadas desde que começaram há milhares de anos. O sentimento de paixão é universal e as linhas da onda, não importam. Quando as ondas estavam boas no Havaí antigo, o trabalho parava e as pessoas iam surfar - não é diferente de hoje. As revoluções do design de pranchas não mudaram nada relacionado com a verdadeira essência do surf.

No século 21, a essência do surf está passando por um tipo diferente de revolução, que irá destruir a essência do surf. A destruição global de picos de surf e, mais importante, o oceano está agora sendo causado por mudanças climáticas e emissões globais de CO². Isso vai mudar fundamentalmente o surf, diminuindo a nossa capacidade de surfar as ondas, ou desfrutar de um ambiente marinho saudável. Como surfistas, todos nós somos coletivamente responsáveis ​​por causar estas mudanças, através do nosso uso diário de combustíveis fósseis e da energia.

A maioria dos surfistas não percebe o verdadeiro nível de ameaça representada pelas emissões de CO². Ecossistemas de recifes de coral serão extintos em algumas décadas devido à acidificação dos oceanos, o aquecimento e o derretimento de geleiras causará o aumento do nível do mar, que inundará as maioria dos picos de surf com um caso grave de "maré alta permanente." Esqueça os impactos sociais das mudanças climáticas ... Eu quero que os meus filhos experimentem o surf nos recifes de coral vivo!

Então, o que podem os surfistas fazer por isso? Essa é a verdadeira pergunta, e a resposta não tem nada a ver com política ou esquemas de comércio de carbono. O que mais importa é que nós, como indivíduos tomemos uma decisão consciente para mudar nosso estilo de vida e reduzir nossas pegadas de carbono. Preocupe-se com o que você pode controlar todos os dias, e se muitos de nós fizermos isso, então nós poderemos fazer uma diferença que irá mudar o mundo.

Para os surfistas, uma das primeiras decisões que nós poderemos ter é que tipo de pranchas comprar e surfar. Se você se preocupa em proteger o futuro positivo do surfe, então tome uma decisão consciente de participar da próxima revolução do design de prancha a "ecoboard" moderna e de alto desempenho.

Nos últimos anos, os fabricantes inovadores de blocos e de resina desenvolveram materiais avançados sustentáveis ​​que podem criar uma prancha de surf de alto rendimento com nenhuma das desvantagens dos produtos petroquímicos tóxicos. Estes materiais incluem resinas à base de plantas que não sejam tóxicos, os blocos de poliestireno reciclado, blocos à base de algas, blocos à base de cana, fibra de celulose e as quilhas feitas com cogumelos. Estes materiais estão sendo usados ​​para fazer as "ecoboards", com 40% menos emissões de CO² por ciclo de vida, sem impacto no desempenho.

Para trazer clareza ao mercado da prancha sustentável, a Surf Sustentável criou o Projeto Ecoboard, que é o primeiro programa de rotulagem para pranchas de surf sustentáveis. Procure o logotipo "EcoBoard verificada" em sua próxima prancha, ou pergunte ao seu shaper favorito para que ele participe do programa e construa a sua próxima prancha com materiais sustentáveis ​​avançados.

A prancha sustentável é apenas o primeiro passo que você pode tomar para proteger o futuro do surf. Há muito mais coisas que você pode fazer para reduzir o seu impacto sobre o oceano através de emissões de CO², ao mesmo tempo, economizando dinheiro e melhorando a sua qualidade de vida. Nós convidamos você a se juntar a nós em uma jornada para viver uma "vida no azul profundo", que é um estilo de vida ideal para o mar.

Traduzido do The Inertia

Comentários

Galerias | Mais Galerias