#big surf #surf #ondas extremas #ondas perfeitas #ondas grandes #picos #tow-in #tubos 
Brasil

Baixas de Carapebus, a nova jóia Capixaba

Fábio Sandes - Domínio Corporal

A história da conquista da onda capixaba nunca surfada!

Enquanto os olhos da comunidade do surf voltavam-se para o pico de Avalanche em Vila Velha no último swell histórico que atingiu o Espírito Santo no final do mês de junho de 2021, tendo contado com a presença de inúmeros surfistas profissionais que chocaram o mundo do Big Surf no Brasil e exterior, um pouco mais ao norte do estado um outro grupo de surfistas partiam em busca do sonho sem fim de encontrar uma onda perfeita e nunca antes surfada: as “Baixas de Carapebus”.

Foto: Gustavo Martinazi (@gustavomartinazzi)

Esta onda, que quebra em uma bancada de coral distante cerca de 5 Km da costa, nas proximidades de Carapebus e Manguinhos no município da Serra, já estava no radar dos surfistas locais Hugo Caiado (@hugocaiado), Rosental Girelli (@rosental_alves_girelli) e Fábio Cabelo (@fabiodominiocorporal). Participaram também da expedição o engenheiro Patrick Caran Quimquim (@patrickcq), os empresários Fábio Borgo (@f_borgo) e Emílio Caiado (@emiliocaiado) (filho de Hugo), além do capitão Alexandre Batalha (@temporadaazul) que disponibilizou sua embarcação para apoio aos jets, surfistas e fotógrafos. As imagens foram capturadas por Gustavo Martinazi (@gustavomartinazzi) e João Vitor Moreira (@jv.fotos_).

Fábio Borgo e Emílio Caiado fazendo o reconhecimento do local. Foto: Gustavo Martinazi (@gustavomartinazzi)

Cada um desses surfistas já sonhava à sua maneira com esta onda, e resolveram se unir no propósito comum de desbravá-la. Após muito planejamento, treinamento, preparação física e algumas investidas de reconhecimento, finalmente o sonho virou realidade.

Foto: Gustavo Martinazi (@gustavomartinazzi)

O empresário Hugo Caiado, ícone do surf capixaba e morador de Carapebus, entrou para a história como o primeiro surfista a dropar uma onda no pico e contou para o SurfGuru como foi essa experiência.

“Ser o primeiro surfista a desbravar essa onda tão especial, que tanto sonhava por estar logo ali no quintal da minha casa foi uma honra e uma bênção. Trata-se de uma onda grande de nível internacional e que certamente passará a fazer parte do itinerário dos maiores big riders do Brasil”. 

Hugo Caiado fazendo história ao ser o primeiro a surfar a onda de Baixa de Carapebus. Foto: Gustavo Martinazi (@gustavomartinazzi)

O engenheiro Rosental Girelli, morador e surfista de Manguinhos, balneário de pescadores também conhecido pelas ondas fortes, cultura do respeito aos locais e ao meio ambiente, também deu seu depoimento:

“Desde criança escutava histórias dos pescadores locais de Manguinhos acerca dessa onda, perrengues e naufrágios relatados no local, inclusive tive a oportunidade de mergulhar e pescar nas Baixas algumas vezes. Poder ver de perto a força desse gigante que costuma acordar apenas em swell de grande intensidade e surfar algumas ondas por lá foi a realização de um sonho de menino. E o fato de termos ido com pouca gente, apenas amigos, gente da terra, ainda que com pouca experiência e sem nenhum profissional nos acompanhando, deu um gostinho especial à expedição. A sensação da descoberta, o frio na barriga, o medo das ondas, o sentimento do dever cumprido, realmente tivemos uma experiência única que ficará guardada em nossas memórias para sempre. Agradeço a todos os meus amigos locais de Manguinhos que me apoiaram nessa expedição, em especial ao pescador Marquinho 'Lock', maior conhecedor das Baixas e que me deu dicas sobre posicionamento no pico, e também ao local Edmar Mazinho, que me levou lá poucos dias antes para pescar e conhecer as marcações que foram essenciais durante a sessão, já que o pico é distante e tem muita correnteza.”

Rosental Girelli dropando uma montanha de água nas Baixas de Carapebus. Foto: Gustavo Martinazi (@gustavomartinazzi)

Eu, Fábio "Cabelo", tive a honra de fazer parte desse grande time, que em busca do mesmo sonho não mediu esforços para torná-lo realidade e fui agraciado com a melhor do dia, tendo minha imagem divulgada nos maiores veículos locais de comunicação e nos principais sites de surf do Brasil. A grande magia da vida é que tudo vem ao seu tempo. São mais de 20 anos dedicados à evolução pessoal e como atleta para poder, aos 42 anos, estar em plena forma física para encarar esse desafio, justo na semana em que com muita alegria me tornei embaixador e colunista do Surfguru. Ou seja, recebi esse presente de Deus em dose dupla.

Fábio “Cabelo” na melhor do dia, onda que marcou a expedição. Foto: Gustavo Martinazi (@gustavomartinazzi)

O surf, em especial o de ondas grandes, requer uma preparação física, mental e técnica muito complexa e individual. Nestas condições, o trabalho em equipe é fundamental para garantir, além da segurança de todos, os melhores posicionamentos para o piloto e surfista. A onda das Baixas de Carapebus é uma onda mística, famosa entre os locais e pescadores. Por muitos anos ela vem despertando desejos, sonhos e pesadelos, por isso nos unimos para criar uma estrutura que possibilitasse surfá-la com segurança.

Tubos largos e pesados de Baixas de Carapebus. Foto: Gustavo Martinazi (@gustavomartinazzi)

Mapeamos a área, treinamos pilotagem, surfamos de tow-in em várias bancadas, fomos ver de perto a onda em um dia com swell menor... enfim, passo a passo fomos montando a estrutura necessária. Com tudo pronto, foi a hora de lidar com a parte mental e emocional, para no dia que o swell certo entrasse estivéssemos prontos para colocar em prática o que havíamos praticado. 

O grande dia chegou e fomos agraciados com um mar clássico, ondas perfeitas e até então indomadas. Ficamos durante cerca de 2 horas estudando as séries e analisando os pontos de resgate e de drop. Após Hugo e Zeba terem conquistado seus diamantes, foi a minha hora de entrar na água e, colocando em prática com maestria tudo o que treinamos durante meses, meu dupla “Zeba” escolheu a onda certa e me colocou no lugar certo, na hora certa.

Fábio "Cabelo" na onda do dia. Foto: Gustavo Martinazi (@gustavomartinazzi)

Como bem falou o capitão Batalha "Se a magia rolar teremos o seguinte cenário: barco alinhado no final da onda, fotógrafo posicionado, vento parado, céu aberto, jet no trilho e aí vai precisar do surfista, vai lá e faz seu nome Cabelooo kkkkkk..."

Capitão Alexandre Batalha e Fábio “Cabelo”, embaixador do SurfGuru, só alegria ao desbravar mais uma jóia capixaba. Foto: Gustavo Martinazi (@gustavomartinazzi)

Sem palavras para descrever tamanha felicidade e a sensação maravilhosa de colher os frutos exatamente como nos sonhos, por isso agradeço muito a Deus e todos os que direta ou indiretamente fizeram parte dessa realização.

Foto: Gustavo Martinazi (@gustavomartinazzi)

Comentários

Galerias | Mais Galerias