#wsl #wct #atletas #competições #profissional 
Hawaii - Estados Unidos

Continuação do Billabong Pro Pipeline é adiada na segunda-feira no Havaí

João Carvalho - WSL

Próxima chamada: terça-feira as 7h50 no Havaí, 14h50 no Brasil

BANZAI PIPELINE, Oahu, Havaí/EUA (Segunda-feira, 31 de janeiro de 2022) - A segunda-feira amanheceu com ondas pequenas para a continuação do Billabong Pro Pipeline e o primeiro day-off do ano foi decretado logo na primeira chamada do dia no Havaí. A próxima foi marcada para as 7h50 da terça-feira em Pipeline, 14h50 no Brasil. Se a etapa de abertura do World Surf League Championship Tour 2022 retornar, será transmitida ao vivo pelo WorldSurfLeague.comGloboplay e GE.Globo.com.

“A previsão indica que tem um novo swell (ondulação) a caminho, então não vamos ter competição hoje no Billabong Pro Pipeline”, disse Jessi Miley-Dyer, WSL SVP of Tours and Head of Competition. “Já fizemos as primeiras fases dos homens e das mulheres, então podemos esperar pelos próximos dois dias inteiros com as melhores condições para fechar o evento. Amanhã (terça-feira), vai ficar maior e teremos ondas boas no dia seguinte também, então vamos voltar aqui amanhã para fazer a chamada as 7h50, com um possível início as 8h02”.

Billabong Pro Pipeline tem prazo até o dia 10 de fevereiro para ser encerrado. Se o próximo dia for iniciado pela categoria feminina, a primeira participação da “seleção brasileira da WSL” será na terceira bateria, com Tatiana Weston-Webb disputando classificação para as quartas de final com a havaiana Moana Jones Wong. Se começar pela terceira fase masculina, o primeiro brasileiro a tentar passar para as oitavas de final será o campeão olímpico Italo Ferreira, no duelo sul-americano com o peruano Miguel Tudela na quinta bateria.

Na sexta, tem Miguel Pupo contra o australiano Connor O`Leary e na oitava entra o primeiro surfista do Peru a fazer parte da elite masculina do CT, Lucca Mesinas, para enfrentar o californiano Kolohe Andino. Na nona bateria, o vice-campeão mundial Filipe Toledo abre a chave de baixo do Billabong Pro Pipeline com o havaiano Ivan Florence. Depois, tem João Chianca na 11.a com o australiano Jack Robinson, Caio Ibelli na 13.a com o americano Griffin Colapinto e o 15.a e penúltima batalha por vagas nas oitavas de final será verde-amarela, entre Deivid Silva e um dos estreantes na “seleção brasileira” deste ano, Samuel Pupo.

TRANSMISSÃO AO VIVO – O Billabong Pro Pipeline é realizado com o patrocínio da Billabong, Red Bull, Expedia, Shiseido, Oakley, Hidro Flask, Flying Embers, Spectrum, 805 e Pura Vida. O prazo da etapa de abertura do World Surf League Championship Tour 2022 vai até o dia 10 de fevereiro e pode ser assistido ao vivo pelo WorldSurfLeague.com, pelo Aplicativo e YouTube da WSL e no Brasil tem transmissão especial pelo GloboplayGE.Globo.com e nos canais do Sportv a partir das quartas de final.

PRÓXIMAS BATERIAS DO BILLABONG PRO PIPELINE:

TERCEIRA FASE – Vitória=Oitavas de Final / 17.o lugar com 1.330 pontos e US$ 10.000:

1.a: Conner Coffin (EUA) x Barron Mamiya (HAV)

2.a: Kelly Slater (EUA) x Jake Marshall (EUA)

3.a: Kanoa Igarashi (JPN) x Owen Wright (AUS)

4.a: Leonardo Fioravanti (ITA) x Nat Young (EUA)

5.a: Italo Ferreira (BRA) x Miguel Tudela (PER)

6.a: Miguel Pupo (BRA) x Connor O´Leary (AUS)

7.a: Frederico Morais (PRT) x Carlos Munoz (CRI)

8.a: Kolohe Andino (EUA) x Lucca Mesinas (PER)

9.a: Filipe Toledo (BRA) x Ivan Florence (HAV)

10: Seth Moniz (HAV) x Ezekiel Lau (HAV)

11: Jack Robinson (AUS) x João Chianca (BRA)

12: John John Florence (HAV) x Jackson Baker (AUS)

13: Griffin Colapinto (EUA) x Caio Ibelli (BRA)

14: Ethan Ewing (AUS) x Callum Robson (AUS)

15: Deivid Silva (BRA) x Samuel Pupo (BRA)

16: Jordy Smith (AFR) x Matthew McGillivray (AFR)

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com 2.610 pontos e US$ 13.000:

1.a: Sally Fitzgibbons (AUS) x Malia Manuel (HAV)

2.a: Tyler Wright (AUS) x India Robinson (AUS)

3.a: Tatiana Weston-Webb (BRA) x Moana Jones Wong (HAV)

4.a: Isabella Nichols (AUS) x Bettylou Sakura Johnson (HAV)

5.a: Carissa Moore (HAV) x Bethany Hamilton (HAV)

6.a: Gabriela Bryan (HAV) x Brisa Hennessy (CRI)

7.a: Johanne Defay (FRA) x Molly Picklum (AUS)

8.a: Lakey Peterson (EUA) x Luana Silva (HAV)

COVID-19 – A saúde e segurança dos atletas, funcionários e da comunidade local, são de extrema importância para a World Surf League, que trabalha em estreita colaboração com as autoridades de saúde locais, para implementar um protocolo mais completo possível para a proteção de todos em relação ao COVID-19. Os procedimentos incluem triagem antes do evento, testes contínuos e controle para a circulação mínima de pessoas no local da competição.

Comentários

Galerias | Mais Galerias