#surf #jogos olímpicos #profissional #competições #eventos #notícias #previsão #análise #atletas 
Brasil

Essa é a semana de estreia do Surf na olimpíadas, saiba tudo aqui

Equipe Surfguru

Baterias, formato de competição, números de atletas, datas, condições, ... Tudo para você não ficar perdido nesse momentos histórico.

A contagem regressiva para a estreia do surf nas olimpíadas já está quase no fim e ainda sabemos que várias pessoas estão com dúvidas sobre o formato de disputa, sobre o pico, sobre os horários, ... Enfim, é tudo novo e é normal termos questionamentos. Ainda mais com o potencial de medalhas que o Brasil tem, a expectativa para o início do evento está lá em cima!

Então vamos aos detalhes da competição:

Altetas

Ao todo são 40 atletas classificados, 20 homens e 20 mulheres, com no máximo 4 representantes de cada país ao todo (no máximo 2 homens e 2 mulheres, não pode haver 3 homens ou 3 mulheres de um mesmo país). Além disso, vale ressaltar que para o Comitê Olímpico, diferente do que rola na WSL, o Havaí é um estado americando e não uma nação à parte. 

Os atletas se classificaram de duas formas: através do ISA Games disputados em 2019 e 2021 e pelo tour da WSL de 2019. Pelo Brasil, nós temos 4 representantes já bem conhecidos de todo o público: Ítalo e Medina no masculino, Tati e Silvana no feminino. É incrível perceber que todos os atletas tem chances reais de medalha!

Formato de disputa

O formato de disputa será o mesmo para o masculino e para o feminino e a competição prevê 6 fases ao todo (1o round, 2o round, oitavas, quartas, semis e final). Assim como nos eventos da WSL, teremos uma repescagem para evitar que os primeiros perdedores voltem para casa direto. E as disputas ocorrerão na seguinte forma:

  • Os 20 atletas de cada modalidade serão divididos em 5 baterias de 4 atletas para o 1o round; Os dois primeiros da bateria de classificam direto para as oitavas, enquanto os dois últimos irão para o 2o round; Assim teremos 10 atletas classificados para as oitavas e 10 atletas na repescagem (2o round);
  • No 2o round, os 10 atletas serão divididos em 2 baterias de 5 pessoas, onde os três melhores de cada bateria se juntam aos atletas já classificados; Assim, após o 2o round teremos 16 atletas (dez do 1o round e seis do 2o round) para as oitavas de final;
  • A partir das oitavas, serão apenas duelos homem a homem/ mulher a mulher até chegarmos na final, consgrando o grande primeiro campão olímpico de surf da história!

Dias de disputa

A organização programou o campeonato para ocorrer em 4 dias ao total, começando no dia 25/07 (domingo) e indo até o dia 28/07 (quarta). Mas como não existe combinado prévio com o mar, o evento possui mais quatro dias de janela de espera para caso tenhamos dias sem onda durante a janela "oficial".

  • 1o dia (25/07*): 1o round masculino e feminino + 2o round masculino e feminino (14 baterias ao todo)
  • 2o dia (26/07*): Oitavas masculino e feminino (16 baterias ao todo)
  • 3o dia (27/07*): Quartas masculino e feminino + Semis masculino e feminino (12 baterias ao todo)
  • 4o dia (28/07*): Disputa de bronze masculino e feminino + Finais masculino e feminino + entrega de medalhas (4 baterias ao todo)

*Lembrando que as datas podem sofrer alterações

Baterias

1ª fase masculina

1) Italo Ferreira (BRA), Michel Bourez (FRA), Hiroto Ohhara (JAP) e Leandro Usuna (ARG)

2) Kolohe Andino (EUA), Owen Wright (AUS), Miguel Tudela (PER) e Frederico Morais (POR)

3) Leonardo Fioravanti (ITA), Jeremy Flores (FRA), Lucca Mesinas (PER) e Billy Stairmand (NZL)

4) Kanoa Igarashi (JAP), John John Florence (HAV), Manuel Selman (CHI) e Ramzi Boukhiam (MAR)

5) Gabriel Medina (BRA), Julian Wilson (AUS), Leon Glatzer (ALE) e Rio Waida (IND)

1ª fase feminina

1) Carissa Moore (EUA), Teresa Bonvalot (POR), Daniella Rosas (PER) e Dominic Barona (EQU)

2) Sally Fitzgibbons (AUS), Brisa Hennessy (CRI), Mahina Maeda (JAP) e Bianca Buitendag (AFR)

3) Stephanie Gilmore (AUS), Silvana Lima (BRA), Pauline Ado (FRA), Anat Lelior (ISR)

4) Tatiana Weston-Webb (BRA), Johanne Defay (FRA), Amuro Tsuzuki (JAP), Sofía Mulanovich (PER)

5) Caroline Marks (EUA), Yolanda Sequeira (POR), Leilani McGonagle (CRI) e Ella Williams (NZL)

Agora que vocês já sabem quem são os atletas, como estão divididos e como será a disputa, precisamos conhecer o palco, certo?

O pico

As condições das ondas são uma preocupação para a organização e para os atletas. A Praia de Shidashita, na província de Chiba, região perto de Tóquio, recebe ondas pequenas e fracas durante o verão japonês e isso criou uma expectativa sobre a qualidade das ondas para a estréia da modalidade nos Jogos Olímpicos.

A praia de areia escura é um beachbreak, sem uma formação especial que a torne um destaque grande no cenário internacional como uma das melhores ondas do mundo. Em contrapartida, é um palco comumente utilizado para competições nacionais e internacionais no Japão, mostrando que mesmo sem ser uma onda épica, há um potencial na onda de termos condições boas para as disputas dos melhores atletas do mundo.

Outro fator que deve ser destacado é a chegada de uma ondulação durante essa semana no litoral japonês, afastando um pouco o medo de não termos onda durante o período da janela de espera do evento. 

Fique ligado com os horários, as competições de surf devem começar no início da noite no horário brasileiro e seguir madrugada a dentro. Marque a hora das baterias dos brasileiros para não perder nada, cada momento é único na estreía desse esporte (que é um estilo de vida) no maior eventos esportivo do mundo!

Para mais informações, siga como Surfugru!

Comentários

Galerias | Mais Galerias