#inovação #ondas artificiais #surf 

Imitação: Uma Visão mais Atenta das Ondas Artificiais

Matt Clark - Luex Surf Travel

As ondas artificiais nunca irão substituir a coisa real, mas eles trazem uma série de benefícios: ondas constantes, iguais e perfeitas, horas alternativas para a prática do esporte, menor perigo para os iniciantes, possibilidade de realizar campeonatos na

Eu me sentei numa sala escura e úmida, no sótão de meu aluno num apartamento de baixa qualidade em Aberdeen, debruçado sobre gráficos e sites de previsão de surf enquanto a chuva açoitava as janelas; o vento uivante ameaçando arrancar os seus quadros. Quando você vive no norte da Escócia, você se acostuma com as tempestades. Se há uma verdade sobre o clima escocês, é como ele é inconstante. Desta vez, porém, ele estava trabalhando em meu favor: depois de semanas de apartamentos, as bóias de onda foram finalmente indicando vida no Atlântico Norte, e um swell marchando em direção a costa com toda a veemência dos soldados para a batalha.

Um swell de oeste, com um toque de norte. E previsão de vento brando... Desligando minha surrada e bruxuleante lâmpada de mesa, peguei as chaves do meu igualmente maltratado Nissan Micra e começamos a jornada norte para Thurso.

Flutuando através da foz do rio para o pico nas horas mais calmas na manhã seguinte, as ondas palpitavam através do recife com alguns pulsos oceânicos, rítmicos como um coração gigante, eu nunca me senti mais ligado à natureza. Eu peguei a minha primeira onda do dia, passei por baixo do lip lançamento, e parei de pensar.

E esse é o ponto, não é? É por isso que nós surfamos: para escapar das realidades mundanas da vida moderna. Colhendo e montando nesses trens oceânicos que nos levam de volta a um estado mais elementar: somos animais, flutuando em uma incompreensivelmente vasta massa líquida que simplesmente não dá a mínima para nós. Pode lhe proporcionar a onda da sua vida, ou tirar a sua vida com equanimidade total; ele não se importa. Nada é mais humilhante ou mais emocionante.

O que levanta a questão: por que estamos tentando construir ondas artificiais? Será que realmente achamos que podemos imitar ou melhorar a natureza? Claro, nós provavelmente podemos projetar uma parede geometricamente perfeita de água, mas isso é apenas parte da equação. E quanto ao resto? E sobre o cheiro de sal no ar, o peso da água sobre a rocha, os pássaros, as algas ... A vida? Pode a experiência ser comparada? Se você estiver seguindo recentes comunicados de imprensa sobre a realidade iminente de ondas muito bem fabricadas e cuidadas na mídia do surf, então você vai ter sido apanhado pela controvérsia em fóruns e comentários. A conversa balança entre "jardins para iniciantes" e "é uma onda, vamos destrui-la!" Como sempre, os surfistas são um bando opinativo.

No entanto, a resposta é realmente muito simples: por que não? As ondas artificiais nunca irão substituir a coisa real, mas eles trazem uma série de benefícios. Imagine uma onda totalmente previsível, quebrando exatamente da mesma maneira a cada momento: que lugar melhor para refinar a técnica e aperfeiçoar os aéreos? Os críticos afirmam que esta previsibilidade é negativa, e não natural, mas a maioria das ondas encontradas na lista das '10 mais perfeitas' não são do tipo que moem com consistência mecânica? Se o surf vai manter a sua progressão aéreo-rebentando físico, os parques de ondas são suscetíveis de serem o lugar onde isso vai acontecer. Desperdiçar uma rampa líquida perfeita em JBay apenas para tentar um backflip ou algo louco você sabe que você não vai conseguir? Não. Em uma piscina de ondas, quando você sabe que a próxima onda vai vir de forma idêntica ... Bem, por que não?

Avançar mais no surf significa ter boas condições disponíveis. Precisa de um swell, mas devido ao trabalho pode ser que você não chegue à praia na maré correta? Não se preocupe. As ondas e o vento não colaboraram nos seus dias de folga? Dane-se. O pico local está demasiadamente lotado para pegar uma onda decente? Não é um problema. Trabalho e família o mantêm vivo na terra? Pode não ser a coisa real, mas, pelo menos, um parque local para o surf vai ajudar a manter as suas habilidades afiadas para quando você chegar à costa!

Então, como os geradores de ondas funcionam?

As primeiras versões dos geradores de ondas trabalhavam bombeando grandes quantidades de água em câmaras especiais, em seguida, forçando-as de volta para a piscina com ar comprimido. O sistema, então, precisa captar mais água, e bombeá-la de volta para as câmaras para a próxima onda. Enquanto este método pode produzir ondas surpreendentemente detonáveis de 4 pés (basta verificar Wadi Adventure Park nos Emirados Árabes Unidos), eles têm duas falhas principais: eles exigem uma grande quantidade de energia, e existe um atraso de 90 segundos entre as ondas.

Projetos mais recentes, como o Wavegarden, trabalham arrastando o que essencialmente é um trenó que forma ondas pelo fundo de uma piscina. Duas ondas se curvam em ambos os lados de um pier central, produzindo simultaneamente uma esquerda e uma direita. No final da sua trajetória, o trenó gira 180 ° e cria duas ondas que quebram na direção oposta. Esta solução mais elegante é muito mais atraente para os investidores e os surfistas: o maior número de ondas significa que mais pessoas podem usá-las por sessão, enquanto o design mais eficiente usa muito menos energia, reduzindo os custos operacionais.

Enquanto muitos dos novos conceitos de empresas como a Webber Wave Pools de onda e a Kelly Slater Wave Company existem apenas em cálculos teóricos e modelos de laboratório, a Wavegarden já construíu uma piscina de demonstração totalmente operacional no País Basco. O tamanho e a força das ondas geradas ainda é limitada pela quantidade de terra disponível para construir a lagoa, embora um passeio de 22 segundos em uma onda de 1,5 metros não é para ser desprezado! Este local de teste nunca será aberto ao público, apesar de vários surfistas profissionais como Gabriel Medina e Dusty Payne já terem ficado bastante impressionados: "Eu pensei que ia ser menor. É realmente muito grande!"- Dusty Payne. Como o tamanho e o comprimento da onda é limitado apenas pelo tamanho da piscina, as versões comerciais poderão oferecer ondas ainda mais longas e maiores. No entanto, a Wavegarden sugerem que qualquer coisa acima de 2 metros de altura de parede exigiria muita energia para ser financeiramente viável.

A Wavegarden não é apenas para os surfistas de alto nível: após a sessão com maior tamanho, as ondas continuam a funcionar em compartimentos especialmente projetados onde elas se desfazem em espuma, perfeitas para escolas e iniciantes do surf. É uma situação ideal para as crianças, que podem pegar algumas ondas depois da escola sem os pais se preocuparem com correntes de retorno e outros perigos marinhos.

São sustentáveis?

Gerar ondas requer muita energia, o que parece um desperdício, dado à abundância natural em todos os oceanos do mundo. No entanto, a maior parte da pegada de carbono da maioria dos surfistas vem de viagens - Dirigir para um pico local ou voar para o outro lado do mundo em busca de perfeição exótica. A Wavegarden calcula que, supondo que você dirija uma picape, viajando sozinho, e passe pelo menos 1,5 horas surfando, então, enquanto um parque de surf está pelo menos a 15 minutos mais perto de sua casa do que a praia, as suas emissões de carbono serão menores do que surfar no oceano. Enquanto que o cálculo inclui a energia necessária para gerar as ondas, mas não levam em conta os impactos da construção do parque, em primeiro lugar. No entanto, a maior parte do trabalho de engenharia necessário para construir um parque de surf tipo Wavegarden está na escavação e moldagem da lagoa; pouco concreto é necessário. Partindo do princípio de uma longa vida útil, é plausível que um parque de surf poderá se tornar relativamente carbono-neutro ao longo do tempo.

Trazer a Cultura do Surf para a Terra?

Uma das críticas sobre os parques de surf são frequentemente manifestadas por surfistas que acham que haverá uma diluição da cultura do surf, levando-a para o interior; o caos potencial das hordas de surfistas "de água doce" soltos no oceano sem nenhum conhecimento sobre marés e correntes. Muitos de nós gostamos de pensar em nós mesmos como pertencentes a uma espécie de tribo adorando o oceano, dedicados à busca de perseguir swells e surfar ondas. Será que o surf no interior irá afetar este status?

Sério? O surfe já foi vendido se tornou comercial há muito tempo. Vá a qualquer das partes mais quentes do planeta e você vai encontrar crianças circulando com calções e chinelos de surf. A Quiksilver tem lojas próprias em todos os lugares, desde Nova York até Londres, e clipes de vídeo de surf são usadas para vender de tudo, desde loção pós-barba até produtos para lavar roupa. O que o fato de trazer as ondas para o interior irá fazer é permitir que aqueles que se identificam com a cultura do surf possam realmente se envolver com o estilo de vida surf. O surfe pode ter um impacto positivo na vida das pessoas; por que não usá-lo como um veículo para a melhoria social? No mínimo, ele abriria uma nova forma de exercício físico saudável ao ar livre para muitas pessoas. Como é que isso pode ser uma coisa ruim? 

As ondas interiores também poderia abrir a cena da competição para muito mais participantes. Você pode zombar da idéia de ondas artificiais poder criar surfistas verdadeiramente competitivos, mas existem precedentes. Jenny Jones, que aprendeu a praticar snowboard numa pista de esqui sêca no Reino Unido, ganhou medalhas de ouro nos X-Games e de bronze em Slopestyle olímpico em Sochi. Joe Morley, duas vezes vencedor do Adidas Sickline Extreme Kayak World Champs na Áustria, aprendeu a andar de caiaque em cursos artificiais de slalom.

As ondas controláveis também poderão melhorar as próprias competições reais. Atualmente as competições de surf raramente atraem um grande público - Há muita espera entre as séries, e as janelas do swell longas para eventos dificultam o seu apelo nas emissoras de TV; os horários são demasiado imprevisíveis para serem programados. Problemas semelhantes significa que o surf provavelmente não se tornarão um esporte olímpico. Mas enquanto os cursos artificiais para os eventos de caiaque slalom são construídos - e o curso de águas bravias de Lee Valley em Londres ainda está prosperando muito depois dos jogos - por que não deveria o surfe se benefíciar de algo semelhante?

Onde e quando eu posso tentar?

Atualmente, a menos que você tenha a sorte de ser convidado para o local de testes da Wavegarden, as únicas ondas artificiais que você é capaz de surfar são os sistemas de bomba hidráulica estilo antigo. Wadi adventure nos Emirados Árabes Unidos é capaz de bombear ondas de quatro pés, e você pode escolher entre as esquerdas, direitas, ondas de pico e fechadeiras. O parque já recebeu várias competições, incluindo o SUP World Tour. Da mesma forma, da Disney 'Typhoon Lagoon' já teve a sua cota de competições, apresentando algumas manobras de surf surpreendentemente progressivas, enquanto Siam Water Park em Tenerife reivindica ser as maiores ondas provocadas pelo homem - até 3 metros! No entanto, esses parques são caros tanto para construir e visitar, com uma longa demora entre as ondas.

Você não terá que esperar muito tempo pelas primeiras levas dos novos parques de onda. O 'The Wave', no Reino Unido, teve a primeira permissão para construção concedida de um parque de surf usando a tecnologia Wavegarden perto de Bristol, e deverá se tornar a primeira instalação Wavegarden aberta ao público. A construção está programada para começar em 2015, e eles estão atualmente à procura de financiamento do público para ajudar a acelerar o seu objetivo pela sustentabilidade e pelo trabalho comunitário.

Projetos semelhantes estão previstos para Montreal, Canadá; Snowdonia, no País de Gales; Varberg, Suécia; Queensland, Nova Zelândia; Oahu, Hawaii e Sochi, na Rússia.

Assim, resta apenas uma pergunta: se um parque de surf vier para a sua cidade, você irá experimentá-lo?

Traduzido do Luex.com

Comentários

Galerias | Mais Galerias