#atletas #surf #profissional #wct #wsl #wqs #eventos #competições #saúde 
Brasil

Quais surfistas brasileiros estarão no Championship Tour de 2022?

João Carvalho/ WSL Latin America

Oito dos 12 integrantes do time de 2021 garantiram suas permanências. As outras vagas para a elite serão definidas no WSL Challenger Series com 16 surfistas do Brasil já confirmados. A batalha inicia após o WSL Finals.

Quais serão os surfistas que estarão na seleção brasileira da WSL em 2022? Dos 12 integrantes do time atual, oito garantiram suas permanências pelo ranking do World Surf League Championship Tour 2021, encerrado no dia 13 no Corona Open Mexico apresentado pela Quiksilver. Quatro estão entre os top-5 que vão disputar os títulos mundiais da temporada no Rip Curl WSL FinalsGabriel MedinaItalo FerreiraFilipe Toledo e Tatiana Weston-Webb. Além deles, Yago DoraDeivid SilvaJadson André e Miguel Pupo, ficaram entre os vinte mantidos pelo ranking masculino. Agora, o único caminho para a divisão de elite que restou é o WSL Challenger Series e 16 brasileiros já estão confirmados para disputar vagas nas quatro etapas.

O capitão da seleção brasileira da WSL, Adriano de Souza, também ficou entre os top-20 e estaria classificado para o CT 2022, porém o campeão mundial de 2015 decidiu encerrar sua brilhante carreira esse ano. Os três que ficaram abaixo da linha de corte, Caio IbelliPeterson Crisanto e Alex Ribeiro, terão a chance de continuarem na elite ainda este ano, nesta nova estrutura do Circuito Mundial que está sendo implantada pela World Surf League, com o Challenger Series sendo o novo campo de batalha pelas vagas para o CT. Neste ano, serão classificados doze surfistas pelo ranking masculino e seis pelo feminino.

Outra grande novidade é o Rip Curl WSL Finals, que decide os títulos mundiais de 2021 no melhor dia do mar no período de 9 a 17 de setembro, nas ondas de alta performance de Lower Trestles, em San Clemente. Dias depois, também na Califórnia, acontece a primeira das quatro etapas do WSL Challenger Series 2021, o US Open of Surfing, de 20 a 26 de setembro no famoso píer de Huntington Beach. Em outubro, tem mais duas na Europa, o MEO Pro Ericeira nos dias 2 a 10 em Portugal e o Quiksilver Pro France de 16 a 24 em Hossegor. Já a última etapa, que fecha a lista dos classificados para o CT 2022, será no Havaí, o Haleiwa Challenger, de 25 de novembro a 7 de dezembro em Haleiwa Beach, na ilha de Oahu. 

Para definir as vagas para o CT 2022, os rankings finais do WSL Challenger Series 2021 computarão três resultados. No entanto, excepcionalmente esse ano, os surfistas poderão incluir como um destes três resultados, a maior pontuação obtida nas etapas do WSL Qualifying Series realizadas até o dia 15 de março de 2020, antes da World Surf League cancelar todas as competições do restante da temporada, devido a pandemia do Covid-19. 

As etapas do WSL Challenger Series são limitadas para 96 competidores na categoria masculina e 64 na feminina. Todas as quatro etapas serão disputadas por homens e mulheres e com o princípio de igualdade na premiação, incentivada pela World Surf League. Os top-34 e as top-16 da elite do CT 2021, têm participação garantida. No entanto, a maioria dos surfistas que já confirmaram suas permanências para 2022, entre os top-20 do ranking masculino e as top-9 do feminino, pode preferir não competir. Todas essas ausências serão preenchidas por convidados pela WSL, por critérios técnicos.

DEZESSEIS BRASILEIROS - Já os que ficaram de fora destes grupos, como os brasileiros Caio IbelliPeterson Crisanto e Alex Ribeiro, terão a chance de garantirem seus nomes no mesmo ano que perderam suas vagas. Outros três brasileiros já foram convidados para substituir os tops do CT 2021 no WSL Challenger Series, Willian CardosoJessé Mendes e Michael Rodrigues, que saíram da elite na temporada 2019 do WSL Championship Tour.

Também competirão dois e duas surfistas da divisão Pro Junior e nesta lista tem mais um brasileiro, o atual campeão mundial da categoria, Lucas Vicente. Os outros participantes são indicados pelos rankings de cada um dos sete escritórios regionais da World Surf League no mundo, computando os resultados das etapas do WSL Qualifying Series por eles promovidos. Os dez homens e cinco mulheres indicados pela WSL Latin America, foram definidos nos dois eventos que marcaram a volta do Equador ao Circuito Mundial.

RANKINGS REGIONAIS - Nesta relação tem mais nove surfistas completando o número de 16 brasileiros já garantidos para disputar vagas para o CT 2022 no Challenger Series. Tem ex-tops da elite, como Wiggolly DantasIan Gouveia e Silvana Lima, alguns que já estão há alguns anos tentando entrar no CT, como Thiago Camarão e Rafael Teixeira e surfistas da nova geração também, como João ChiancaWeslley DantasSamuel Pupo e Edgard Groggia. Os rankings da WSL Latin America também classificaram os peruanos Alonso CorreaDaniella Rosas e Sol Aguirre, o uruguaio Marco Giorgi, a argentina Josefina Ané e a equatoriana Dominic Barona.

Na categoria masculina, os escritórios da WSL North America, WSL Australasia e WSL Europa, indicaram dez surfistas como a WSL Latin America. Já o da WSL Hawaii classificou sete atletas, da WSL Asia seis e da WSL Africa cinco. No total, o número de 96 participantes nas etapas do WSL Challenger Series, é composto por estes 58 selecionados pelos rankings regionais, os 34 tops da elite do CT, mais 2 surfistas da categoria Pro Junior e 2 convidados pela WSL.

Na categoria feminina, os escritórios da WSL North America, WSL Australasia e WSL Europa, classificam oito surfistas cada, o da WSL Hawaii e da WSL Asia são seis cada, o da WSL Latin America são cinco e da WSL Africa apenas três. Os rankings regionais femininos indicam 44 surfistas, com as 16 tops do CT, 2 da categoria Pro Junior e 2 convidadas pela WSL, completando a quantidade de 64 participantes em cada etapa do WSL Challenger Series.

 

Comentários

Galerias | Mais Galerias