#prêmio #ondas grandes #ondas extremas #competições #big surf 
Califórnia - Estados Unidos

Vencedores dos Prêmios Billabong XXL de 2014

ASP

A festa de premiação do do Billabong XXL Awards 2014 aconteceu na última sexta-feira na Califórnia com os grandes nomes do surfe mundial de ondas grandes na expectativa de levarem os prêmios

Para o ato final do Billabong XXL Awards, cinco surfistas se alinharam no palco para ver quem tinha ganho o prêmio mais cobiçado do evento. O prêmio onda do ano apareceu grande para a totalidade do show. Entre cada apresentação, cada surfista foi retratado em um curta-metragem, com a auto-narração do dia do momento em que pegou essa onda memorável que os trouxe a esta nomeação.

E então, em uma espécie de ironia poética, a noite veio num círculo completo: Greg Long, que tão humildemente passou seu título para o novo N° 1 do BWWT, o sul-africano Grant Baker nos primeiros momentos de abertura do show, foi anunciado como o vencedor do Onda do Ano.

Defensor do BWWT de 2012/2013, Long ficou em terceiro em Mavericks e segundo em Oregon. Sua onda mais notória, no entanto, veio em Puerto Escondido, o levando a ganhar o prêmio da onda do ano.

Segundo lugar : Shawn Walsh ( HAW )

Terceiro Lugar: Grant Baker ( ZAF )

Quarto Lugar : Shane Dorian ( HAW )

Quinto Lugar : Billy Kemper ( HAW )


Vencedor da Maior Onda: Galtier Garanx

Enquanto Jaws e Mavericks são caças bem conhecidas para ondas monstruosas, mas houve um equilíbrio com grande sucesso entre águas europeias e do pacífico este ano. Quatro das cinco indicações para maior onda vieram de Nazaré ou de Jaws, mas foi a onda em Belharra e o surfista da França, Galtier Garanx, que levaria o prêmio.

Garnax pegou uma onda de 62 pés nas Terras Bascas do Norte. Ele foi o segundo francês a ganhar um prêmio XXL desde então.


Vencedor do Melhor Desempenho Geral: Grant Baker

O homem, o mito e a lenda, Greg Noll, subiu ao palco para apresentar o prêmio de Melhor Desempenho Geral Surfline. "Eles são muito mais agradáveis do que os caras da minha época", disse ele com sinceridade total.

E vocês não sentem saudades dele, sentem? Twiggy fez a curta caminhada de volta ao palco para aceitar seu segundo prêmio, o Desempenho Geral XXL. Baker ganhou em 2009 por um monstro de 68 pés em Tafelberg Reef.

"Alguém me perguntou hoje se eu tenho medo de surfar em ondas grandes. Eu não posso ter medo." Olhando por cima em Noll ele disse, "Imagine os caras que encontraram esses picos."


Vencedor da Remada: Mark Healey

Alex Gray, atual No. 4 no ranking BWWT, saudou a multidão falando: "o jet ski morreu", quando ele apresentou os indicados para o Prêmio Remada. Imagens de Jaws, Mavericks e Sunset mostraram surfistas pegando ondas grandes o suficiente para a maioria questionar se é ou não humanamente possível fazê-las sem a ajuda de um jet ski.

Mark Healey ganhou por uma onda de 52 pés surfada em Jaws.

"Dentro de todas essas pessoas existe um guerreiro", disse Healey . "Eu vejo o que vocês fazem na água e sempre vou respeitá-los."


Vencedor da Vaca do Ano: Koa Rothman

Golpe após golpe, de Mavericks ao Taiti e Belharra, piscando na tela grande, a alegria estava em pleno vigor na apresentação dos candidatos a vaca deste ano.

O vitorioso - eu acho que se pode dizer assim - foi Koa Rothman, depois de seu prêmio de melhor tubo.


Vencedora Desempenho Feminino: Keala Kennelly

O prêmio feminino de ondas grandes deu um enorme salto na quantidade de reconhecimentos que recebeu e o temor de suas atletas inspiram em seus espectadores e colegas. Na abertura da seqüência "ao redor do mundo", a multidão aplaudiu quando um surfista fina com um loiro alvejado emergiu de uma onda espessa no Taiti.

O Prêmio Desempenho Feminino desta noite foi para a havaiana Keala Kennelly, com duas vitórias seguidas no Prêmio XXL, sua terceira no total. Ela também fica à frente da vencedora inaugural deste prêmio, a também havaiana Jamilah Star, que ganhou dois prêmios seguidos em 2005 e 2006.

Apenas três mulheres ganharam o prêmio nos 10 anos que ele tem sido oferecido, Star, Kennelly e a companheira candidata Maya Gabeira. Maya ganhou cinco no total.

O indicado ao prêmio de maior onda, Ian Walsh, subiu ao pódio estreando um terno, gravata e um colar de flores para anunciar o vencedor do Prêmio Tubo. Koa Rothman foi de longe o favorito dos fãs, uma grande alegria ecoou pela sala de concertos, quando a fotografia, agora do notório nativo de Oahu, emoldurado por uma enorme onda em Teahupoo apareceu na tela grande.

Então, é claro, a multidão irrompeu quando Walsh leu o vencedor. Rothman foi até o palco, acalmou seus nervos o suficiente para agradecer seus patrocinadores e familiares, olhou para o grande cheque falso e disse que este era o seu sonho.

Em nome da fraternidade, o campeão do ano passado do Billabong XXL Greg Long caminhou para o palco para passar a tocha para o campeão de 2012/2013 Grant "Twiggy" Baker.

Após Twiggy finalizar a temporada de BWWT de 2009 com um primeiro lugar na abertura e um quinto lugar no evento final em Todos Santos, o Sul-Africano lentamente caíu no ranking de surfistas de ondas grandes. Ele admitiu que a presença de surfistas como Long e Shane Dorian, que, nas temporadas de 2010/2011 e 2011/2012 continuaram a ficar no topo, tornou difícil se destacar naqueles anos.

Mas na última temporada, alguma coisa acendeu um fogo e Baker dedicou sua vida inteiramente, diz ele, para ondas grandes. Talvez fosse o desgosto de perder. Ou talvez ele estava sendo descartado por seu patrocinador em julho de 2013. Fosse o que fosse, ele liderou a história das ondas grandes.

Pela primeira vez no circuito oficial do BWWT, Baker ganhou vários eventos: Ele ficou no topo do pódio, tanto de Maverick como de Punta Galea. Ele ficou em quarto no evento final, o Dive N Surf Pro Oregon mas até então ele havia se solidificado como campeão da temporada.

As performances de Baker durante a temporada de 2012/2013 lhe renderam indicações ao Billabong XXL. Ele é indicado para o prêmio da remada em Sunset, onda do ano por uma onda que ele pegou em Dungeons, e melhor desempenho geral do Surfline.

Mas para este prêmio não havia concorrência. Após as ondas diminuirem e as pontuações baixarem, Twiggy teve mais pontos.

Imediatamente após o discurso de aceitação de Baker, a Billabong levou-nos através de uma viagem por todo o planeta, passando imagens das ondas memoráveis ​​dessa temporada passada. Do Chile para Jaws para Nazaré, a multidão agora estridente exclamava: "ooh" e "aah " para tubos de loucos e vacas igualmente retorcidas.

Traduzido da ASP

Comentários

Galerias | Mais Galerias