#eventos #competições #longboard #surf #atletas 
Jijoca de Jericoacoara - Ceará - Brasil

VII JERICOACOARA CULTURA LONGBOARD SURF FESTIVAL

George Noronha

Cearense Antônio Victor e a pernambucana Atalanta Batista ficam com os títulos Latino-Americanos

Encerrou-se neste domingo 12/12 o VII Jericoacoara Cultura Longboard Surf Festival, evento válido pelo Brasileiro de Longboard em associação com o Circuito ALAS/HPFC-Associação Latino Americana de Surf/High Performance Frestyle Championship. Durante quatro dias, Surfistas de vários estados de todo litoral brasileiro estiveram presentes na paradisíaca Praia de Jericoacoara para disputar os títulos das 14 categorias, os prêmios em dinheiro e viver o mais puro clima do soul surf no mais importante festival dedicado à cultura surfe de todo Norte e Nordeste.

E o grande campeão do ALAS/HPFC foi o surfista local de Jericoacoara Antônio Victor. O atleta mostrou muita sintonia com as ondas em performances arrojadas para vencer uma Final praticamente dominada por atletas locais. Após ser anunciado como o grande campeão do ALAS/HPFC o atleta comemorou muito batendo no peito indicando que ali em Jericoacoara, com as condições certas, ele é o cara a ser batido.

Mas, Vitinho não teve moleza. Tanto os conterrâneos Adrian Pardo e Yam Wisman, quanto o baiano Luan Araújo, lutaram com todas as suas armas pelo título até o último segundo da bateria, mas não foram capazes de arrancar o troféu das mãos do filho mais ilustre do surfe de Jericocoara. Adrian Pardo terminou com um respeitável título de Vice-Campeão do Alas, enquanto o jovem Yam Wismar, ficou com a terceira colocação. O baiano Luan Araújo completou o pódio na quarta colocação.

Entre as mulheres a grande campeã do ALAS foi a pernambucana Atalanta Batista, que a exemplo de outros anos chegou forte em Jeri para levar para casa mais um troféu de campeã para a sua extensa coleção. Na segunda colocação tivemos a não menos talentosa Marina Carbonel-RN, com Julia Viana-RJ na terceira colocação e a cearense local de Jeri, Esmeralda Garzon, marcando presença no pódio na quarta colocação.

Entre os profissionais os grandes campeões foram os longboarders cariocas Eduardo Bagé e Evelin Neves. Bagé deu um verdadeiro show de performance para conquistar o lugar mais alto do pódio. E para isso ele teve de superar alguns dos principais longboarders brasileiros da atualidade. Esbanjando estilo e experiência Bagé, conseguiu arrancar dos árbitros os maiores escores para finalizar o evento como Campeão da Profissional. Em segundo ficou o local de Saquarema-RJ, Jeferson Silva, com Alexandre Escobar-ES em terceiro e o talento local da nova geração do longboard cearense, Yam Wisman, na quarta colocação.

Na Profissional Feminino o destaque ficou por conta da atuação da carioca Evelin Neves-RJ, que fez belas apresentações para impressionar os árbitros e receber deles a chancela para ocupar o lugar mais alto do pódio. Na segunda colocação ficou Atalanta Batista, que mesmo tendo cravado um 9,0 na Fase 1 da competição, não conseguiu repetir sua melhor performance na última e mais importante bateria para o Circuito Brasileiro. De qualquer forma a pernambucana comemorou muito o resultado. Na terceira colocação ficou a carioca Jasmim Avelino, com a cearense Esmeralda Garzon fechando o pódio na quarta colocação.

Na Junior Masculino o grande campeão foi o cearense revelação, João Pedro, com o paulista de São Vicente, Theo Cabeleira ficando com a segunda colocação, José Arteiro-CE em terceiro e Miguel Carbonel-RN na quarta colocação. Aqui vale destacar o desempenho em toda a competição de todos os atletas dessa bateria. Yam e Theo computaram as maiores notas do evento, respectivamente 9,65 e 9,60. E Theo ainda terminou com o maior somatório de toda a competição, 17,27. Apesar do grande número de astros e estrelas, esses garotos foram os que conseguiram impressionar mais os árbitros e merecem ficar sob a luz dos holofotes nos próximos anos, porque eles ainda trarão muitas alegrias tanto aqui no Brasil, como também em eventos internacionais!

Na Júnior Feminino o grande destaque ficou por conta da vitória da local de Jeri, Esmeralda Garzon, que aproveitou o profundo conhecimento do pico para superar as adversárias e as difíceis condições do mar e terminar o evento como campeã. Júlia Viana terminou na segunda colocação, a Flora Arruda, do Ceará, em terceiro e Katelly Oliveira, de São Paulo, terminando na quarta colocação.

Entre os iniciantes o grande destaque foram as atuações dos jovens talentos locais Shachaf Wisman e Ronaldo Unias Filho. Irmão do reconhecido talento Yam Wisman, Shachaf mostrou que tem DNA de campeão para faturar o título da categoria Iniciante Masculino. Já Ronaldinho mostrou muita qualidade e técnica nas manobras para terminar como vice-campeão da categoria. Matheus Fontes-RN ficou em terceiro e Matheus Roger-CE, em quarto.

Entre as mulheres a renovação foi comandada pela surfista de São Paulo, Kate Brandi, com Mariana Ferro-CE na segunda colocação, Patrícia Cláudia (da Polônia) em terceiro lugar e Sol Tostes na quarta colocação. Destaque para jovem surfista cearense Sol, que mostrou muito estilo e elegância para vence as duas baterias que antecederam a Final.

Na Surf Adaptado Open, destaque para todos os participantes, que foram ovacionados por salvas de palmas durante todas as apresentações. Para essa turma, o pódio é apenas uma formalidade. Em primeiro ficou Gilmário Guimarães-CE. Em segundo, Francisco Boneco, também do Ceará. Em terceiro, Marçal-SP e em quarto, Tiago Nunes-RJ.

Na Surf Adaptado Modalidade Cadeirante destaque para os dois participantes, Cristiano Freitas e Kelvin dos Santos, respectivamente campeão e vice-campeão da categoria.

Entre os veteranos, na 35+ a vitória ficou com Eduardo Bagé em mais um show de técnica e estilo. Na segunda colocação ficou o carioca Tássio Rocha, com o sergipano Robson Fraga em terceiro e Cristiano Aladim em quarto.

Na 50+ o grande campeão foi Chicó Moura, do Rio Grande do Norte, com Marcelo Bibita em segundo, Adriano Viana em terceiro e Maurício Raul-RJ em quarto. Aqui vale destacar que o carioca Maurício Raul já está em sua quarta participação nesse evento, nos prestigiando com seu estilo clássico e em outros momentos, com a sua gaita, mandando aquele blues em a qualquer momento e em qualquer lugar, no mais genuíno espírito Soul Surf.

Na 55+ o destaque foi o cicerone do evento, Marcelo Bibita, que mostrou competência não somente na organização desse grande Festival, mas também nas ondas de Jeri. Na segunda colocação ficou o catarinense Paulo Sefiton, com Ewandro Balalai-BA e Willian Ferreira-SP, completando o pódio na terceira e quarta colocações, respectivamente.

Fechando a fatura, os mais experientes e sábios da competição. Os 60+, com destaque para a alegria e a vitalidade de todos. Aqui, podem acreditar, o pódio é apenas um detalhe, mas Willian, o grande campeão é uma pessoa fantástica, junto com seu parceiro de Barriga Bowl, Firmino, a dupla era uma aula de vida ambulante. Ali sabem viver não apenas viver, mas celebrar a vida continuamente. E o grande campeão foi Willian Ferreira, de São Paulo, com Chicó Moura em segundo, Zezinho Sepetiba-RJ em terceiro e Ricardo Phebo em quarto. Todos sem exceção são personagens ilustres, não pelo fato de serem grandes e antigos surfistas. Pelo contrário! Acredito que, por serem assim tão formidáveis é que o surfe não larga deles.

CALOR E CULTURA

Com um sol para cada um o evento era um convite constante a um refrescante banho de mar nos verdes mares cearenses. Como no Desafio da Pedra Furada de Canoa Havaiana e Sup, onde os competidores, apesar das duras condições de mar e vento, ao término da prova, se refastelaram com um banho salgado nas térmicas águas cearenses. Ou após o Ritual Auêra-Auára, onde todos terminaram em uma “chuva” de água salgada sob as bênçãos das Sereias Tribais de Jeri.

E além do esporte, atividades culturais se espalhavam pela praia e ganhavam as ruas da bucólica vila com Mostra de Cinema, Performances Teatrais, Sunsets diários com DJ’s após as baterias, Festa Oficial, Pintura de Pranchas, Feira de Surfe e Arte... Em resumo, uma verdadeira overdose da Cultura dos Reis Havaianos, principalmente para aqueles que estiveram presentes em Jeri durante o evento.

“Estou muito grato ao Karin Sierralta, do circuito ALAS PRO TOUR e ao André Derizans, idealizador do HPFC, pela confiança na escolha do nosso evento para ser mais uma etapa desse circuito tão importante para o longboard mundial, que é o Alas/HPFC. Foi muito bom ver nossos atletas se destacando em um campeonato dessa envergadura e acreditamos que esse seja apenas o primeiro passo para que ‘nossas crias’ possam atingir níveis cada vez mais altos no mundo do surfe. Nos vemos no Havaí”, declarou Bibita.

Os quatro dias intensos vividos no VII Jeriocoacoara Cultura Longboard Surf Festival vão deixar saudades e aqui nos despedimos, já dando início ao planejamento do VIII Festival:

“Eu não poderia encerrar esse evento sem antes agradecer a todos que, de alguma forma, contribuíram para o sucesso de mais um Festival. Deixo aqui registrado meus mais sinceros agradecimentos a todos os artistas que nos prestigiaram com seus talentos, engrandecendo nosso festival e sem os quais, o Festival não teria o sucesso que teve:

  • Ivone do grupo Latino Dance;
  • Rafael Arcanjo e os Bailarinos Ginastas;
  • Pedro Scanchet cineasta;
  • Gabriel/Phill Rajzman;
  • Rick Wernek-Cineasta/Músico;
  • Yupie / Jeri Outrigger;
  • Paulinho Beissá e Família Brincantes;
  • Nayra Costa;
  • Los Reggae Rockets;
  • DJ Pio;
  • DJ Faleiro;
  • Espaço Serramar (Sr. Flávio);
  • Mayara Dança do Ventre;
  • Marcos Angaro (Circo);
  • Raxi Figueredo-Performance com Fogo;
  • Chico Bento e os Capoeiras;
  • Fábio e o filme Tablas;
  • Alexandre Dantas Documentários ICMBio e Parque Nacional;
  • Débora (Preserve Pipa) Documentário;
  • Mari Sales ( Surfguru) Interpretação de Gráficos;
  • Lucas, Brenda e Rayana Lopes / Jeri Long Cast tema: Sexualidade e inclusão;
  • Bichinho Tema: Surf Adaptado;

E a todos que eu possa ter esquecido, pois, convenhamos, são muitos parceiros, que vocês possam sentir a minha mais profunda gratidão e votos de sucesso, paz e prosperidade. E até 2021, se Deus quiser”, concluiu Bibita.

PREMIAÇÃO

Entre os profissionais a premiação foi composta por R$ 20.000 (vinte mil reais), distribuídos igualitariamente entre homens e mulheres da categoria Profissional e mais 2.000 US$ (dois mil dólares) para o ALAS/HPFC.

Para os amadores a premiação foi composta de pranchas Collection e Blocos Teccel, além de kits e troféus para todos os finalistas.

O VII Jericoacoara Cultura Longboard Surf Festival contou com o Patrocínio de Governo do Estado do Ceará, Pena, Robinson Crusoe, Coconut, Coca-Cola, Cerveja Sol e Monster Energy. Apoio Institucional: Prefeitura Municipal de Jijoca de Jericoacoara, Secretaria de Turismo do Estado do Ceará, Secretaria do Esportes e Juventude do Estado do Ceará, ICMBio, Corpo de Bombeiros Militar do Ceará, Marinha do Brasil, Instituto Povo do Mar, Secretaria de Turismo de Tibau do Sul, Asup-Ce, Federação de Surf do Estado do Ceará. Apoio: Hurricane Hotel, CasaLô Hotel, Pousada Maria Bonita, Pousada Jericó, Pousada Chez Toi, Hotel Vila Kalango, Pousada Capitão Thomaz, Pousada Isabel, Pousada Juventude, Pousada Suíça Brasileira, Pousada Vila Sossego, Pousada Bella Jeri, Pousada Carcará, Pousada Baobá, Pousada Surfing Jeri, Pousada Nascer do Sol, Pousada Recanto do Barão, Pousada Wind Jeri, Pousada Beleléus, Pousada Bangalô, Pousada Casarão, Pousada Nova Era, Pousada Coral Negro, Creperia Naturalmente Jeri, Açaí do Parque Jeri, Restaurante do Bigode, Restaurante Dona Amélia, Planeta Tour Viagens, Pastel e Cia e Tico Wind Jeri. Divulgação: Grupo Cidade de Comunicação, Ceará Surf, Surfguru, Revista Beach Show, Canal Off, Canal Woohoo e Joven Pan FM. Chancela: ALAS Pro Tour, CBSurf e Federação de Surf do Estado do Ceará. Realização: Auera Auara Produções e Eventos e IBESF-Instituto Brasil Sem Fronteiras.

Comentários

Galerias | Mais Galerias